aulaEI10 - eletronica24h

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Educacional > Cursos > Eletronica Basica 2
Aula09        Indice de Aulas    Aula11
Eletrônica Basica 2
Aula  10: Transistor unijunção Programavel

1  Transistor unijunção programavel ( PUT )   
   O  transistor unijunção programável (PUT) é um UJT  no qual o valor de  h  (Razão Intrínseca de disparo) pode ser imposta através  de resistores externos. A sua estrutura é análoga à de  um SCR , tendo porém o gate na região N próxima do anodo.  A Figura 1 mostra a estrutura, símbolo e circuito equivalente de um PUT e pinagem do PU 2N6027.




                                                               ( a )                          ( b )                                     ( c )                                                           ( d )
Figura 1 - Transistor Unijunção Programável   ( a ) Estrutura, ( b ) Símbolo, ( c ) Aspecto fisico 2N6027 ( d ) Circuito Equivalente

Para  compreender o seu funcionamento consideremos o circuito da Figura 2a  e o seu equivalente Thevenin, Figura 2b.





                ( a )                                                              ( b )
Figura 2 -  Transistor Unijunção Programável ( a ) Circuito  com resistores de polarização ( b )  Circuito  equivalente de gate


Da  Figura 2 obtem-se:



Substituindo  o PUT na Figura 2b pelo seu circuito equivalente resulta o circuito:




Figura 3 - PUT  e circuito equivalente

      De acordo com o circuito da Figura 3, se  VA  < VTH + VBE o  transistor Q2 não conduzirá o mesmo ocorrendo com Q1. Nessas  condições  o PUT estará cortado.
     Quando  porém VA=VTH + VBE o  transistor Q2 ficará polarizado diretamente conduzindo assim como Q1.  Nessas condições a realimentação positiva interna  existente levará o PUT ao disparo (análogo ao disparo do SCR).
Após  ter disparado o PUT só voltará ao corte quando a tensão  de anodo cair abaixo da tensão de   vale VV, análoga à tensão de manutenção  no SCR.
     Se  fizermos uma analogia com o  UJT  teremos no ponto de disparo:


UJT :        VP=0,7+ h.VCC

PUT:         VA  =VBE  +   VTH

Onde:



Comparando  as duas expressões concluí-se  que   a relação intrínseca de disparo, h do PUT vale:



podendo  ser ajustada externamente através de   RB1 e RB2


2  Oscilador de relaxação com  PUT       
    O funcionamento do circuito é análogo ao do oscilador de relaxação  com UJT. Ligada a alimentação e estando o capacitor inicialmente  descarregado (VA=VC=0) o PUT estará cortado (Q2 polarizado reversamente). O capacitor  C se carrega através de R. Quando a tensão   no capacitor ultrapassar a tensão de gate (VRB1) em  cerca de  0,7 V   Q2 começa a conduzir disparando o PUT. Nesse instante   C se descarregar através do PUT e de RL. Quando a tensão  de anodo (tensão no capacitor) cair abaixo da tensão de vale,  o PUT voltará a cortar e C volta a se carregar novamente através  de R.

                    
         
                       ( a )

                        ( b )
Figura 4 -   Oscilador de Relaxação com PUT   ( a )  Circuito  -  ( b ) Formas de     onda


Observe que agora a relação de disparo não  pode ser mais chamada de intrinseca pois não depende mais do dispositivo.

O periodo das oscilações é dado pela mesma expressão  que dá o periodo de oscilação do UJT, isto, é:

                         T = R.C. ln1/(1- )                                                                                             eq. (1)

Sendo que o h(eta) é dado pelo divisor de tensão RB1, RB2, isto é,

                    h=RB2/(RB1+RB2)                                                                                        eq.(2)

3  Exemplo de PUT comercial
   
2N6027 e 2N6028
Encapsulamento  TO-92



Figura  5 - PUT comercial
Terminais
1. Anodo
2.Gate
3. catodo


A Figura 6  mostra os limites e os valores de alguns  parametros




                Figura 6 -  Limites maximos do PUT   2N6027/2N6028




4  Experiencia: Oscilador com PUT
4.1   Abra o arquivo ExpEN2_19_Oscilador de Relaxação com PUT e identifique o circuito da Figura 7.  Inicie a simulação.
4.2  Ajuste a resistencia variavel, Rv, em um determinado valor, por exemplo 250 k (50%).
4.3   Anote  as formas de onda no capacitor, Vc,   e na resistencia de catodo,V3, medindo  o periodo das oscilações e anote.
4.4  Ao calcular o periodo não esqueça que a resistencia usada na eq.(1) neste caso é a soma  R4+Rv e a razão de disparo é     h=R2/(R1+R2).
T(calculado)=_____________________         T(medido)=_________________  

Obs: Para variar Rv use a tecla   a (minuscula) para aumentar e A (Maiuscula) para diminuir.



Figura 7 - Oscilador de relaxação com PUT


4.5 Escreva as suas conclusões.
Aula09        Indice de Aulas        Aula11
 
Copyright 2015. All rights reserved.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal