aulaCA005 - eletronica24h

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Educacional > Cursos > Eletricidade em CA
Aula04            Indice de Aulas       Aula06  
Analise de Circuitos em Corrente Alternada
Aula05: Circuito RL serie - Triangulo das tensões, impedancias e potencia - Impedancia - Fator de potencia
Bibliografia
Analise de Circuitos em Corrente Alternada - Editora Erica


1. Circuito  RL Série
    Na prática um indutor apresenta uma  resistência, e além disso  podemos ter resistores em série com o indutor, neste caso  a corrente continuará atrasada em relação à tensão  mas de um angulo   menor  do que 90º.  A Figura 1 mostra o circuito e o diagrama fasorial.  Observe que a fase da  corrente foi considerada arbitrariamente igual a zero. Todos os outros fasores  estarão "amarrados" a isso. A oposição total é devido a resistencia (R) e a reatancia indutiva (XL) sendo chamada de impedancia (Z). No circuito da figura 1, L representa um indutor ideal a sua resistencia está incorporada a outras resistencias sendo representada por R.

Se a fase da corrente for zero, a tensão na resistencia estará em fase com a corrente. Por outro  lado a tensão no indutor esta    atrasada de
900  em relação a corrente  que é a mesma no indutor e na resistencia.


Figura 1 -    ( a ) Circuito RL serie   ( b ) Diagrama Fasorial   ( c)   Impedancia (equivalente)
 
Impedância indutiva (ZL)
     A impedancia, Z, é a combinação dos efeitos da resistencia, R, e da reatancia indutiva, (XL).
 

Figura 2 - Impedancia

As tres grandezas  são complexas (tem modulo e fase) e estão relacionadas entre si pela primeira lei de Ohm, figura 3:


Figura 3 - Relação entre V, I e Z em um circuito RL serie


Relações no circuito RL serie


Figura 4 - Relações no circuito RL serie
 
V=VR+VL, soma vetorial,  que dividindo   por I resulta:


que é a impedancia na forma cartesiana
 
Impedância na forma polar
Se no triangulo das tensões cada um dos lados for dividido por I, o triangulo resultante será chamado de triangulo das impedancias, não mudando os angulos. Observe que a defasagem entre a corrente e a tensão total, , é agora o angulo entre a impedancia (Z) e a resistencia (R) e é o mesmo da figura 4.

Figura 5 - Obtendo a impedancia na forma complexa polar

O exemplo a seguir é fundamental para a analise de circuitos em CA. Acompanhe a solução e depois tente resolver sem ver a solução.

Exemplo: Dado o circuito pedem-se:

 
a) Valor da impedância (Z) e sua representação nas formas polar e cartesiana
b) Valor   da indutância (L)
 c) Valor da corrente (I) e sua representação nas formas polar e cartesiana
d) Valor de VR e VL e suas representações na forma polar e trigonométrica
e) Diagrama fasorial

Solução:
a) A impedância na forma cartesiana é Z=30+j40 (Ω)   obtido direto do circuito

Na forma polar. Para obter a impedancia na forma polar, pense na impedancia como um numero complexo com parte real 30 e parte imaginaria 40. Represente-o no sistema de eixos cartesianos, aparece um triangulo retangulo de lados conhecidos.
O modulo de Z
 A fase de Z
Impedancia na forma polar



b) Pela reatância indutiva obtém-se  L

c)  Corrente no circuito
Na forma polar

Na forma cartesiana

I =2,2.cos370 +  j2,2.sen370 = 1,75 +j1,32 (A)

d) Tensões na resistencia (VR) e indutor (VL) nas formas complexas e trigonometrica.

logo

logo

e) Diagrama Fasorial

As fases das tensões e da corrente são referenciadas na origem e podem mudar. O que não muda é a defasagem entre a tensão total e a corrente.

Potencia em um circuito RL serie
Para a analise da potencia seja o triangulo de tensões do diagrama fasorial da figura 1b. Multipliquemos cada um dos lados por I, resultará o triangulo de potencia, Figura 5b.
 
Triangulo das tensões
Triangulo das potencias
                       ( a )                                                             ( b )
Figura 6 - Obtendo o triangulo das potencias a partir do triangulo dsa tensões
Q=PR=VL.I=V.I.senf é a potencia reativa do circuito (VARi), obs: no livro Analise de Circuitos em CA  é  PR
S=PAP=V.I é a potencia aparente do circuito (VA), obs: no livro Analise de Circuitos em CA  é PAP
P=VR.I=V.I.cosf é a potência real ou ativa do circuito (W)
Qual a relação entre essas potencias? Basta olhar o triangulo das potencias que obtem-se:



 
Fator de potencia
O Fator de potencia como o nome diz, é a relação entre a potencia ativa (W) e a potencia aparente (VA):



O FP é uma medida do aproveitamento da energia fornecida pelo gerador ao circuito. Por exemplo, em um circuito puramente resistivo, o FP=1, o que significa? Que toda a energia fornecida pelo gerador é transformada, no caso em calor. No caso de um indutor ideal, FP=0, significando que não existe energia transformada.

Resumindo
Potencia util:    P= S.cosΦ=V.I.cos f (W)   Potencia aparente: S=V.I (VA)       Potencia reativa: Q=V.I.sen f

 
Carga Puramente Resistiva
Como Φ=0   portanto        cos Φ=1 a carga aproveita  toda a energia fornecida pelo gerador.

 
Carga Puramente Indutiva
Como Φ=90   portanto      cos Φ=0 não há potencia ativa,  a carga   troca energia entre o gerador e a carga.

 
Carga Indutiva e Resistiva
Como 0<Φ<90   portanto        0<cos Φ<1  há potencia ativa,  a carga   aproveita apenas uma parte da energia fornecida.

Exercicios resolvidos
1)   A potencia consumida (ativa) por uma instalação elétrica é de 2400 W.  Se a tensão de alimentação é 220 V, calcular a potencia
aparente e corrente  quando:
 
a) FP=0,6                 b) FP=0,9

Solução:

a) A situação é mostrada na figura

Solução: A potencia util é a potencia medida no wattimetro está relacionada com a corrente, tensão e FP

2400=220.I1.0,6    I1=18,18 A
b) O que acontece se o FP aumentar, por exemplo ligando em paralelo um capacitor de valor adequado (veremos em outra aula sobre esa questão).

Solução: Em outras aulas estudaremos o capacitor e a correção do FP, por enquanto considere que o mesmo circuito (pode ser um motor operando sob determinada carga) consome a mesma potencia util, isto é, 2400 W. O que muda? Vejamos:

2400=220.I2.0,9    I2=12,12  A
Tabela 1 - Medidas no circuito RL serie
Então o aumento do FP diminui a corrente para a mesma carga funcionando nas mesmas condições.enci

2. Experiencia:  Circuito RL serie - Medida das tensões e corrente - Medida da potencia e do FP
2.1. Abra o arquivo ExpCA10_RL_serie_medida_da_tensão_corrente_e_potencia e identifique o circuito da figura 8. Inicie a simulação e meça as tensões,a corrente a potencia ativa o fator de potencia e a defasagem entre a tensão total e a corrente. Anote os valores medidos na tabela 1.

Figura 8 - Circuito para experiencia - Circuito RL seri
Tabela 1 - Circuito RL serie - Valores calculados e medidos
Valores calculados Valores medidos
VL(V)VR(V)I(A)P(W)
F.P
(graus)
VL(V)
VR(V)
I(A)
P(W)
F.P
(graus)







2.2. Escreva as suas conclusões.
Aula04            Indice de Aulas       Aula06  
 
Copyright 2015. All rights reserved.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal